Museu da República recebe exposição sobre câncer do colo do útero

54435014_10210900306224246_5355058275119267840_n

A partir de 27 de março, o Museu da República apresenta em seu jardim histórico a exposição “A Mulher e o Câncer do Colo do Útero”, promovida em parceria com o Museu da Vida, da Fundação Oswaldo Cruz – Fiocruz e o Instituto Nacional de Câncer – INCA. A exposição, que é mais uma ação do museu em homenagem ao mês da mulher, conta com 20 painéis ilustrados e traz informações para que a população conheça melhor a doença e suas formas de enfrentamento ao longo da história até os dias de hoje.

Elaborada pelo INCA e pela Fiocruz, a exposição destaca as formas de prevenção do câncer do colo do útero: a vacina contra o HPV antes do início da vida sexual (oferecida no SUS) e o exame preventivo (Papanicolaou), além do uso da camisinha. Sobre o Papanicolaou, mulheres entre 25 e 64 anos que já tiveram atividade sexual devem fazer um exame a cada três anos e, quando necessário, receber o tratamento adequado.

A exposição também é sensível às questões que a doença levanta em relação à sexualidade da mulher e aos obstáculos para a realização do preventivo, que, além da dificuldade de acesso aos serviços de saúde, envolvem desinformação, vergonha e medo, e aborda a transformação da medicina em termos de diagnóstico, prevenção e cura da doença. Os visitantes também podem conhecer um pouco dessa história nos painéis.

A cerimônia de lançamento será no dia 27 de março, às 9h, na aleia central do Museu da República, e contará com a presença do curador da exposição, Luiz Antônio Teixeira, pesquisador da Fiocruz; de Sebastian Freire, assessor técnico, representando a Secretaria Municipal de Saúde; de Ana Cristina Pinho, diretora-geral do INCA; de Mario Chagas, diretor do Museu da República; e da educadora do Museu da República, Ana Paula Zaquieu. Haverá mediação da exposição pela sanitarista da Divisão de Detecção Precoce do INCA, Mônica de Assis.

No Museu da República, a exposição se desdobrará em rodas de conversa mensais abordando, com funcionárias terceirizadas, temas sobre saúde feminina.  A educadora do Museu da República, Ana Paula Zaquieu, responsável pela iniciativa, afirma que a exposição vai ao encontro de uma agenda republicana, dado que amplia a relação do museu com seu entorno a partir da difusão de informações de cunho social referentes à saúde pública. Segundo Ana Paula, as rodas de conversa, por sua vez, são “uma oportunidade de levar conhecimento sobre saúde, promovido por instituições de ponta, a mulheres em situação de vulnerabilidade”.

A exposição faz parte do portfólio de itinerância do Museu da Vida e já esteve em maio de 2018 na Rodoviária Novo Rio em comemoração ao Dia Internacional de Ação pela Saúde da Mulher. No Museu da República, ela fica em cartaz até 25 de junho.

O câncer do colo do útero no Brasil

O câncer do colo do útero é um importante problema de saúde pública, com cerca de 17 mil novos casos diagnosticados por ano no Brasil, embora seja prevenível com a realização do exame Papanicolaou. Ele é um tumor que se desenvolve na parte inferior do útero, no fundo da vagina, e pode invadir outros órgãos. Pode crescer lenta e silenciosamente por mais de dez anos. Antes de se desenvolver, provoca lesões precursoras que são identificadas pelo exame preventivo. Ao serem tratadas, essas lesões não progridem. Quando a doença avança, ocorrem sangramento fora do período menstrual, dor, corrimento e cheiro desagradável. Esse câncer está associado a uma infecção persistente por alguns tipos do papilomavírus humano, o HPV, um vírus transmitido sexualmente, muito frequente em homens e mulheres.

O câncer do colo do útero é uma doença curável, principalmente quando diagnosticada precocemente. As formas mais comuns de tratamento são cirurgia e braquiterapia (um tipo de radioterapia interna).

No passado, a medicina não tinha ferramentas para prevenção, diagnóstico e cura. O único tratamento disponível era a cirurgia para a retirada do útero, em condições de elevado risco. Além disso, durante muito tempo, o câncer do colo do útero foi associado à imoralidade, excessos sexuais e baixos níveis de higiene. A partir dos anos 1970, os movimentos de mulheres intensificaram a luta pela atenção à saúde, enfrentando preconceitos relacionados a doenças.

 

Serviços

 

A Mulher e o Câncer do Colo do Útero

De 27 de março a 25 de junho

Endereço:  Jardim Histórico do Museu da República. Rua do Catete, 153 – Rio de Janeiro

Horário do jardim: todos os dias, das 8h às 17h30

Telefone: (21) 2127-0324
E-mail: mr@museus.gov.br
Visitação gratuita

Site: museudarepublica.museus.gov.br

Detalhes da Agenda

Onde: Jardim do Museu da República
Período: 27 Mar, 2019 a 25 Jun, 2019

Publicado como: Agenda