Republicando: Boletim Mensal – Fevereiro/2014

ImagemPrincipal
Verão no Museu Calor Carioca

Rio 50 graus. Essa é a sensação térmica que está assustando cariocas e turistas, nesse verão no Rio de Janeiro.

Para enfrentar esse sol, só mesmo muita sombra e vento fresco. Melhor ainda se o programa tiver arte, diversão e cultura.

O Jardim Histórico do Museu da República tem sido uma ótima opção para quem quer sair do ar condicionado, se divertir e relaxar. Além de árvores, chafariz, lago, o Jardim tem também estátuas, exposições, brinquedoteca, galeria de arte, área com brinquedos para as crianças, gruta e um bistrô com exposição do gerador de energia da antiga usina, que levava luz para o Palácio do Catete.

E nos fins de semana de fevereiro, a partir do dia 8, teremos a temporada “Rio é rua”, com programação diversificada de números cômicos, musicais, habilidades circenses, numa parceria do Grupo “Teatro de Anônimo” com diversos grupos de artistas de rua, residentes no Rio de Janeiro.

Para enfrentar o calor desse verão, só mesmo muita sombra, arte e diversão no Jardim do Museu da República.

Os verões no Rio de Janeiro são historicamente conhecidos pelas altas temperaturas. Porém, essa estação do ano nem sempre foi sinônimo de praias e diversão para os cariocas. No século XIX, por exemplo, a cidade sofria com o desabastecimento de água e com todo o tipo de epidemia — febre tifóide, varíola, febre amarela, entre outras — fazendo com que a cidade fosse conhecida internacionalmente como “o túmulo dos estrangeiros”. Para fugir desse cenário, boa parte da nobreza e dos ricos da cidade deslocava-se para Petrópolis nessa época do ano. O desenvolvimento de alguns bairros – como Santa Tereza – deu-se por conta do afastamento do centro da cidade e pela altitude, que tornava o local menos suscetível às epidemias.

A partir do início do século XX, o Rio de Janeiro passou por diversas transformações urbanísticas, com o objetivo de transformar a insalubre cidade de feições coloniais numa metrópole no melhor estilo europeu. Ruas foram alargadas, morros foram devastados para, supostamente, melhorar a circulação de ar e cortiços foram destruídos. Inclusive, um novo código de posturas foi estabelecido para tornar o Rio mais civilizado.

Hoje, a “cidade maravilhosa” pode não estar tão civilizada como muitos gostariam, mas pelo menos os verões se tornaram uma época celebrada, e não temida pelos cariocas.

Agenda de Fevereiro

Dias 3, 10, 17 e 24
Polo Rio Carioca – reunião de empresários com integrantes da sociedade civil organizada dos bairros do Catete, Glória, Flamengo e Laranjeiras, para ações e projetos que visam o fortalecimento e o desenvolvimento desta região, no âmbito da gastronomia, cultura e comércio.
Local: Espaço Multimídia
Horário: 18h30 às 20h

Dias 3, 5, 7, 10, 12, 14, 17, 19, 21, 24, 26 e 28
Academia Carioca/ Clínica da Família
Atividades laborais com acompanhamento de especialistas
Local: Jardim Histórico
Horário: 9h às 10h30

Dias 4 e 5
Worshop de vídeo Gui Dalzoto
Roteirização, direção, captação e edição de vídeos por meio de aulas teóricas e práticas
Local: Espaço Multimídia
Horário: 9h às 19h

Dia 5
70 anos do Henfil – “Morro, mas meu desenho fica” : Mesa-redonda sobre a obra do criador da Graúna, que completaria 70 anos este mês. Relançamento da coleção da Revista do Fradim
Local: Pátio interno do Museu
Horário: 19h

Dias 8,9,15,16,22 e 23
Temporada Rio é Rua: programação diversificada envolvendo números cômicos, musicais e de habilidades circenses. Parceria com Teatro de Anônimo, com diversos grupos de artistas residentes no Rio de Janeiro
Local: Jardim Histórico
Horário: 11h

Dia 15
Um brinde à Poesia Rio no Coreto
Encontro de poetas com declamações e apresentação musical
Local: Coreto do Jardim Histórico
Horário: 15h às 17h30

Dia 18
Música no Museu: Cristina Nascimento (piano). No programa, G. Gershwin, Chopin, Brahms e Guerra-Peixe
Local: Auditório Apolônio de Carvalho
Horário: 12h30 às 14h

Dia 26
Feira de Fotografias
Local: Jardim Histórico
Horário: 8h às 18h

Dia 27
Um brinde à Poesia Rio
Encontro de poetas com declamações e debates
Local: Espaço Educação
Horário: 19h às 20h30


Exposição “Trabalho, Luta e Cidadania – 70 anos da CLT”
Local: Museu da República/Palácio do Catete – setor de exposições temporárias
Horário: de Terça a Sexta-feira – 10h às 17h
Sábados, domingos e feriados – 11h às 18h

Exposição A Res Publica Brasileira
Mostra permanente sobre a História da República no Brasil
Local: Palácio do Catete/ Museu da República
Horário de visitação: Terça a sexta-feira – de 10h às 17h
Sábados, domingos e feriados – de 11h às 18h

Exposição “ficções:”, do artista plástico Jozias Benedicto
Local: Galeria do Lago/ Museu da República
De 15 de dezembro/2013 a 16 de março/2014
Horários: de terça a sexta-feira, das 10h às 12h e das 13h às 17h
Sábados, domingos e feriados, das 11h às 18h – Entrada franca

Exposição de caricaturas e charges do artista GUIDACCI – 1ª Bienal Internacional da Caricatura
Local: Aléia do Jardim Histórico do Museu da República – de 29/11/13 até 28/02/14
Horário: 8h às 18h

Seresta no Jardim
Local: Jardim do Museu da República – Pátio interno
Terça a sexta-feira – de 18h às 20h:30m
Sábados e domingos – de 15h às 18h