XXV Jornada Republicana

Singularidades nômades: Arte e Memória no pensamento de Cláudio Ulpiano

As singularidades nômades afirmam sempre um espaço aberto, múltiplo. São espaços de conexão, de agenciamentos, de invenções, de ousadias, de rizomas. São espaços sintagmáticos da potência , como resistência aos espaços paradigmáticos que se arvoram como cartilhas, gramáticas, homogeneizações. Assim, o espaço nomádico é um espaço poético, político, heterogenético, sempre a ser construído, inventado, afirmado . Cláudio Ulpiano nos inspira esse espaço de agenciamentos de artes e memórias, espaço que ele cartografou e ensinou em seus escritos e suas aulas de vida.


Coordenação Acadêmica e Executiva

MARIO CHAGAS
Professor da UNIRIO e Assessor do Museu da República/Ibram

Coordenação Executiva
PATRÍCIA FERNANDES
Graduada em Comunicação Social (PUC-Rio), MBA em Gestão de Museus (UCAM). Assessora do Museu da República/Ibram

Mediação
RENATA BERGO DUARTE
Centro de Estudos Cláudio Ulpiano


Convidados

ELTON LUIZ LEITE DE SOUZA
Mestrado em Filosofia pela UERJ (1997), Mestrado em Comunicação e Cultura pela UFRJ (1995) e Doutorado em Filosofia pela UERJ (2004). É professor adjunto da UNIRIO e professor adjunto da Faculdade de Filosofia de São Bento.

PAULO GUILHERME DOMENECH ONETO
Mestrado em Comunicação Social pela UFRJ (1993), Pós-Graduação Lato Sensu em Filosofia pela UERJ (1992), Doutor em Filosofia pela Université de Nice (França), no ano de 2001, com tese sobre o lugar da estética na tradição filosófica à luz de Nietzsche e Deleuze, professor-adjunto na Escola de Comunicação da UFRJ.

MÁRIO BRUNO
Mestrado em Letras (Ciência da Literatura) pela UFRJ (1989), Doutorado em Letras (Ciência da Literatura) pela UFRJ (1996) e Doutorado em Psicologia pela UFRJ (2003). Atualmente é professor/pesquisador da UFF e professor adjunto da UERJ.

Confira as Jornadas Republicanas Passadas